.com

i love

Um dos melhores vídeos do Youtube  - mais de 2 milhões de visualizações

Os 100 melhores flashback de todos os tempos

  cantores Leoni e Thedy Corrêa falam de música

Leoni é cantor, compositor, músico e escritor. Começou sua carreira em 1983 com o Kid Abelha, formou a banda Heróis da Resistência e segue carreira solo desde 1993. Parceiro de Cazuza, Frejat, Herbert Vianna, Ivan Lins, Moska, Zélia Duncan. Tem uma carreira totalmente voltada para a interação com seu público na internet e vem dedicando cada vez mais tempo à poesia, que faz parte de seu novo show, Multiversos. Adora aprender e ensinar.

Leoni fala do valor da arte e das diferenças entre sucesso e qualidade. Resgata valores humanistas e rejeita a ideia de arte como empresa. Conta a sua história, canta e emociona. O recado essencial que Leoni nos deixa, em suas palavras: “A arte não foi inventada para dar lucro nem para ser eficiente, mas sempre foi e é essencial”.


Thedy Corrêa, cantor do Nenhum de Nós, através da palestra "O Impacto da música na vida das pessoas"compartilha histórias emocionantes que viveu com os fãs da banda. Thedy mostra como a música pode melhorar a vida das pessoas. Ninguém pode perder, as lágrimas são permitidas.

                                                                                                             24 horas de músicas flash back anos 80

Guarde o nosso endereço: radionet80.com

Adicione o play da rádio em seu site/blog!  Copie esse link: http://streaming03.hstbr.net/player/radionet80
Guilherme Arantes,  cantor e compositor, fala de Elis Regina, Roberto Carlos, Gilberto Gil, Vinícius Cantuária, Tom Jobim , Marina e outros grandes músicos nacionais e internacionais. Discorre em vários temas, inclusive ao "orgulho à ignorância", pela aceitação às músicas iletradas que dominam o mundo musical nos dias de hoje. 
.Gratidão... essa é a palavra que resume todo o sentimento da rádio pelas 300 000 visualizações

Porã Bernardes é jornalista formado pela Famecos (PUC-RS). Atua na comunicação há 24 anos. Trabalhou nas rádios Ipanema e Pop Rock. Há 10 anos no Grupo RBS, integra a bancada do Pretinho Básico, programa de maior audiência no sul do Brasil, além do Programa do Porã, na Rede Atlântida. Mestrado em Design Estratégico pela Unisinos, pesquisa o impacto do novo ambiente digital nas mídias tradicionais e nas organizações como um todo. 

Ao assumir o palco, lembrou a influência musical que veio do pai, o “ser humano totalmente musical que não sabia tocar uma nota sequer”. “Meu pai adorava cantar. Foi ele quem me fez perceber as sonoridades, e hoje é a música que faz com que ele esteja presente na minha vida.” Porã falou ao público sobre como os sons transformaram sua trajetória, tanto pessoal quanto profissional. Comentou sobre visitas a lojas de discos e fez referência a nomes como o do cantor, guitarrista e compositor jamaicano Bob Marley, ressaltando que os artistas conseguem expressar não só o que eles pensam, mas o que a sociedade em geral sente. De acordo com o palestrante, a música tem o poder de ser uma chave que abre portas e mostra caminhos para perceber o mundo. É uma experiência transcendental, capaz de provocar o choro, o riso e a afetividade. “A música me fez, me faz, me transforma diariamente e permite que eu crie contextos emocionais com as pessoas”. 


Fernando Anitelli é o cantor principal do Teatro Mágico, uma banda que reúne música, teatro, circo e poesia. Desde o seu início, o Teatro Mágico foi habilitado pelo próprio público, crendo em Música Livre: compartilhar todas as suas canções online e gratuitamente.

A música é algo que se deve cobrar? Você ouve o que gosta ou o que a sociedade te impõe? Nesta palestra, juntamente com musica e poesia, Fernando Anitelli brinca com a história de Teatro Mágico e levanta a bandeira da música livre.

Alguns anos atrás, ele deixou seu trabalho como um programador para se tornar um músico. Sentiu-se perdido e desiludido, a música foi o seu refúgio. Nessa viagem, ele viu o quão importante é lutar pelo que se acredita, e ser quem realmente é. Ele descobriu que as nossas vidas são histórias, filmes queridos, se quisermos. Temos caneta e papel em nossas mãos e cabe a nós escrever a nossa própria história.

Qual é o seu sonho? O que realmente te inspira? E, acima de tudo, o que você está esperando para lutar por aquilo que faz seu coração bater mais forte?

Filipe Burgonovo é um ex-programador que deixou tudo para seguir o que fez seu coração bater mais forte: Tornar-se um compositor / músico. Inspirado pelos gostos de Andy McKee e John Butler, ele usa sua música para expressar plenamente seus sentimentos para o mundo.

Aos 30 anos de carreira e com a mesma formação desde o princípio, o Roupa Nova mostra seus sucessos no Ensaio. Fernando Faro conversa com os seis integrantes do grupo sobre suas histórias, que hoje já se confundem com a história do grupo.

O Roupa Nova nasceu como “The Famks”, banda que começou a ganhar destaque no Rio de Janeiro e que chamou a atenção de Mariozinho Rocha, produtor musical. Mariozinho sugeriu dar uma “nova roupagem” à banda e daí surgiu a ideia do nome “Roupa Nova”. A primeira música de sucesso do grupo foi “Canção de Verão”, logo após veio outro êxito, que foi “Sapato Velho”.

Tenha você também a sua rádio